A alta origem da existência

Um poema/simbiose parte sempre de um mote, que é o seu título. Partes das palavras desse mote são usadas para gerar a primeira palavra de cada uma das linhas do poema. As “sobras” ficam arrumadas à esquerda e não fazem parte da leitura:

Versão desformatada para quem acha o formato ‘simbiose’ muito complicado:

Talvez esteja na hora de se deslocar a Pedra Solar, orientando-a para longe da Engravatada Quadrilha, dadora do que nos impele a corromper e a matar. Existe algures uma Fonte, com vasta prática de criar, ciente de que a raça humana nem parece Sua filha! Afinal – pergunta Ela -, de onde saiu a Matilha?

A minha leitura deste poema/simbiose, que podes guardar e/ou oferecer

Retroceder   ⇔   Sugestão de leitura complementar