A compaixão é o fruto inevitável da lucidez adquirida

Um poema/simbiose parte sempre de um mote, que é o seu título. Partes das palavras desse mote são usadas para gerar a primeira palavra de cada uma das linhas do poema. As “sobras” ficam arrumadas à esquerda e não fazem parte da leitura:

Versão desformatada para quem acha o formato ‘simbiose’ muito complicado:

Acompanhas tu aqueles que, de mente vesga, vivem violentos e engordam, sem pudor, o Bicho-Mor que lhes vendou o olhar? Evita-os, mas tem compaixão. E nos olhos aplica unguentos. Dá-lhes Sol e muita Lua para que passem a ver sem afrontar. Dez mil eras durarão. Estando agora limpos e suculentos, dançarão com todos os ventos da terra, do céu e do mar.

A minha leitura deste poema/simbiose que podes guardar e/ou oferecer

Retroceder   ↔   Sugestão de leitura complementar