A Grande Consciência Primordial

Um poema/simbiose parte sempre de um mote, que é o seu título. Partes das palavras desse mote são usadas para gerar a primeira palavra de cada uma das linhas do poema. As “sobras” ficam arrumadas à esquerda e não fazem parte da leitura:

Versão desformatada para quem acha o formato ‘simbiose’ muito complicado:

Grossa tem vindo a ser a visão humana, é o que a mim digo. Desde a Origem. Ou quase. E estou crente de que não erro. Consciência é o que nos tem faltado. Não é, mas parece vil castigo. Privado dela, portanto, também eu estou: neste desterro, moro defronte da Lucidez, cismando na origem do Umbigo. Algum dia entenderei por que nesta cisma me afadigo?

A minha leitura deste poema/simbiose que podes guardar e/ou oferecer

Retroceder   ↔   Sugestão de leitura complementar