A pureza de toda a criação

Uma Simbiose parte sempre de um mote. Partes das palavras desse mote são usadas para gerar outra palavra, que inicia uma das linhas do poema. O vídeo abaixo apresenta esse movimento das letras e, também, a minha leitura desta Simbiose… que podes guardar e oferecer.

 

Pergunta (de uma leitora imaginária) sobre este poema

Queres tu dizer que o Santo Graal não é o cálice por onde Jesus bebeu na última ceia?

O Graal é, essencialmente, um recipiente. Logo, na versão “copo” pode conter vinho; na versão “útero”, pode conter um feto em desenvolvimento. Simbolicamente, pode conter a Verdade. Fazer ver a alguém que as coisas não são como nos dizem, é quase sempre frustrante!
Seja como for, ainda há mais isto aqui.