A rendição total

No vídeo abaixo podes ver-me a dizer o poema, apreciar o movimento das letras do mote para formar novas palavras e ler a “simbiose” com calma. Aqui, a minha leitura, deste poema/simbiose que podes guardar e/ou oferecer.

Pergunta (de um leitor imaginário) sobre este poema
Podes explicar o que quiseste dizer com “… do Céu donde já nenhum anjo cai”?

É uma brincadeira relacionada com a história dos “anjos caídos”. Anjos à parte, também é costume ficarmos à espera que algo caia do céu aos trambolhões. Não cai; desce desesperadamente devagarinho!

Retroceder   ↔   Sugestão de leitura complementar