A rendição total

Uma Simbiose parte sempre de um mote. Partes das palavras desse mote são usadas para gerar outra palavra, que inicia uma das linhas do poema. O vídeo abaixo apresenta esse movimento das letras e, também, a minha leitura desta Simbiose… que podes guardar e oferecer.

Pergunta (de um leitor imaginário) sobre este poema

Podes explicar o que quiseste dizer com “… do Céu de onde já nenhum anjo cai”?

É uma brincadeira relacionada com a história dos “anjos caídos”.
Anjos à parte, também é costume ficarmos à espera que algo caia do céu aos trambolhões. Não cai; desce desesperadamente devagarinho!
Se aprecias poemas com ironia, aqui tens outro