As peganhentas, cínicas e maldosas

Um poema/simbiose parte sempre de um mote, que é o seu título. Partes das palavras desse mote são usadas para gerar a primeira palavra de cada uma das linhas do poema. As “sobras” ficam arrumadas à esquerda e não fazem parte da leitura:

Versão desformatada para quem acha o formato ‘simbiose’ muito complicado:

Pensa bem nisto: ao dobrares as esquinas mais duras do Caminho, encontrarás pessoas, gentis e generosas, querendo ajudar-te. Algumas, porém, são de facto parasitas que, mostrando carinho, calam as artimanhas indecentes com que vão vampirizar-te. Mal dês com elas, dá-lhes silêncio; não abraços, beijinhos, amizade. As que receberes por engano dar-te-ão o bafo azedo da ruindade.

A minha leitura deste poema/simbiose, que podes guardar e oferecer

Retroceder   ↔   Sugestão de leitura complementar