Como os cães do Nilo te corro o corpo

No vídeo abaixo podes ver-me a dizer o poema, apreciar o movimento das letras do mote para formar novas palavras e ler a “simbiose” com calma. Aqui, o som da leitura, para guardar ou oferecer.

Pergunta (de uma leitora imaginária) sobre este poema

O que é que os cães do Nilo têm de especial?

Segundo li algures, na altura em escrevi esta poema, os cães do Nilo bebem água em movimento, para não serem apanhados pelos crocodilos!

É uma das Simbioses premiadas, em 1979, com o prémio “Revelação” de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores. Aqui tens outra.