O arquétipo da energia masculina

Um poema/simbiose parte sempre de um mote, que é o seu título. Partes das palavras desse mote são usadas para gerar a primeira palavra de cada uma das linhas do poema. As “sobras” ficam arrumadas à esquerda e não fazem parte da leitura:

Versão desformatada para quem acha o formato ‘simbiose’ muito complicado:

O ar que tu, Homem-Sombra, me tens feito respirar, é composto pelo fedor agreste da tua tripa apodrecida. Posso dizer que tu – que engordas a perverter e a burlar – não queres que eu tanja a Verdade que queres ver omitida. Mas a Verdade tenho-a eu aqui, neste poema, bem tangida.

A minha leitura deste poema/simbiose, que podes guardar e/ou oferecer

Retroceder   ↔   Sugestão de leitura complementar