O fundamento da Grande União

Um poema/simbiose parte sempre de um mote, que é o seu título. Partes das palavras desse mote são usadas para gerar a primeira palavra de cada uma das linhas do poema. As “sobras” ficam arrumadas à esquerda e não fazem parte da leitura:

Versão desformatada para quem acha o formato ‘simbiose’ muito complicado:

Futuramente, quando voltar a sentir-me desavindo, dando murros virtuais em quem me despreza e ofende, tomarei, do Puro Azul, o que, no meu ser, foi descaindo. Depois, quieto, voarei nas suas Asas que, indo e vindo, unem, dentro de mim, tudo o que a razão não entende. O que é o Puro Azul? É um Pássaro que no céu se estende.

A minha leitura deste poema/simbiose, que podes guardar e/ou oferecer

Retroceder   ↔   Sugestão de leitura complementar