Os potenciais do teu futuro

Uma Simbiose parte sempre de um mote. Partes das palavras desse mote são usadas para gerar outra palavra, que inicia uma das linhas do poema. O vídeo abaixo apresenta esse movimento das letras e, também, a minha leitura desta Simbiose… que podes guardar e oferecer.

Para entenderes melhor o que tema desta reflexão – inspirada naquele tipo de pessoas cuja locomotiva está bem longe dos carris – estende o título para:
“O que tens vindo a fazer d’Os potenciais do teu futuro”.

 

Perguntas (de uma leitora imaginária) sobre este poema 

Por que criticas a forma como tenho os olhos?
Que te interessa se vejo ou não vejo?

Desculpa!… Não quis ofender-te…. Já cá não está quem poetou!
Antes de te ires embora, lê só mais isto.