Para transcender a vida…

Pergunta (de um leitor imaginário) sobre este poema

Qual a razão do convite: “Vive só do que não ficou dorido’?

Se passaste por crises intensas, é provável que, em vez viveres “só do que não está dorido”, vivas do que continua a doer. Os mais condescendentes dirão que isso é perfeitamente humano. E estarão certos. Mas repara no título do poema! Quando o coração se cala… o resultado é desagradável.

A minha leitura deste poema, que podes guardar e oferecer.