Para transcender a vida…

No vídeo abaixo podes ver-me a dizer o poema, apreciar o movimento das letras do mote para formar novas palavras e ler a “simbiose” com calma. Aqui, o som da leitura, para guardar ou oferecer.

Pergunta (de um leitor imaginário) sobre este poema

Qual a razão do convite: “Vive só do que está florido’?

Se passaste por crises intensas, é provável que, em vez viveres “do que está florido”, vivas do que continua a doer. Os mais condescendentes dirão que isso é perfeitamente humano. E estarão certos. Mas repara no título do poema! Quando o coração se cala… o resultado é desagradável.