01) Carneiro


. Nesta página .

– Simbiose sobre o 1º signo do zodíaco
– O mesmo arquétipo descrito em prosa
– Simbiose de transição de Carneiro para Touro

Este poema — que pode guardar e oferecer — na voz de uma ariana

Versão em prosa

Eu sou o Guerreiro Obstinado.
Orgulho-me da minha liderança incontestada sobre o Ciclo das Estações. Estou à cabeça dos 12 Estados do Ser e comigo se abre a Grande Roda da Vida, porque o Sol entra em mim no equinócio da primavera – o momento exato em que a Natureza começa um novo ciclo. Assim, é natural o meu orgulho na relação estreita que mantenho com o início das coisas. Sozinho, sou perfeitamente capaz de afrontar desafios, pois sou a personificação da Coragem. Quando me predisponho a desbravar novos caminhos, agredido, se preciso for. Quando desencadeio o meu espírito pioneiro, pouco me importam as consequências dos meus atos. O que realmente me interessa são nos resultados que quero atingir.

Desprezo o Passado, porque sei que não há tempo a perder. Sim, eu sei que o velho Cronos está muito arreigado a esse Passado e também ao Tempo, à Tradição, à Velhice. Mas é, precisamente, por causa dessas correlações, da sua tendência para a cautela, o medo e a segurança, que não lhe concedo grande estima. Reconheço que, quando vou até aos seus domínios ele me recebe de forma exaltada – um gesto que eu sou incapaz de retribuir, quando se dá o caso de ser ele a vir até aos meus. Mas eu sou assim mesmo! Cortesias e pausas para reflexão não funcionam comigo, porque não quero que funcionem!

Uns dizem que as minhas vitórias não terão qualquer valor, se não as repartir com alguém; outros, dizem que devo perder o hábito de glorificar as minhas conquistas, esquecendo os apoios que recebi e desprezando aqueles em que me apoiei. Uns e outros esquecem-se de que só eu sei quanto custa vencer! Enfim, julgamentos éticos de quem passa a vida a pensar! Eu preferirei sempre a ação!

Muitos prevêem um futuro infeliz para o meu temperamento agressivo e impetuoso. Baseiam-se na evidência da minha força e na capacidade de não parar diante de nada. Para terminar esta conversa inútil, digo o seguinte: o meu colaborador habitual – Marte, o Deus da Guerra -, é a personificação do espírito de iniciativa, do ímpeto conquistador e do combate contra as forças adversárias. Portanto, desprezo solenemente quem tais opiniões expressa. Convém não esquecer que eu sou
O primeiro que aparece e vence!



Transição de Carneiro para Touro

Pode guardar ( e oferecer ) este ficheiro

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.