Quando o coração se cala…

No vídeo abaixo podes ver-me a dizer o poema, apreciar o movimento das letras do mote para formar novas palavras e ler a “simbiose” com calma. Aqui, o som da leitura, para guardar ou oferecer.

Pergunta (de uma leitora imaginária) sobre este poema

Que “Jóia’ é essa que mora no meu coração?

É que o possuis de mais puro. Há quem lhe chame Morada da Alma, Tempo da Luz, etc. Eu cá não sei. Em relação á maior parte das pessoas, parece-me que, se é Morada, está desocupada; se é Templo, está vazio. Assim, claro, “a vida toda reclama”. Adiante.
Aqui tens outra, para recuperar a boa disposição.