Quem nasceu para amar…

 

Uma Simbiose parte sempre de um mote. Partes das palavras desse mote são usadas para gerar outra palavra, que inicia uma das linhas do poema. O vídeo abaixo apresenta esse movimento das letras e, também, a minha leitura desta Simbiose… que podes guardar e oferecer.

Pergunta (de uma leitora imaginária) sobre este poema

 Não achas que é através dos falhanços que se aprende?

Pode ser. Todas as vias são possíveis. Mas não há creme que valha a uma pele cheia de cicatrizes!
Se me permites, podes começar com o que está dito aqui.