O Repouso

Partindo desta página, podes aceder a textos onde repousar a cabeça, livre das “agruras” provocadas pela leitura (e eventualmente pela escrita) dos poemas no formato “simbiose”. Nestas propostas, tudo é aparentemente mais fácil ( e, por vezes, divertido) mas sempre desafiador.


Escolhe:

Cenas do Amor Desalmado
Coleção “Masturbanário”
Poemas do estrogénio impedido e da testosterona amontoada

Visando o declínio da estupidez
O Ego Barulhento conversa com o Sábio Que Fala Baixinho.
Querendo deixar de ser como é, não sabe como fazer.

Reflexões mudas