Sentir? Sinta quem lê!

Uma Simbiose parte sempre de um mote. Neste caso trata-se da última linha do poema “Isto” de Fernando Pessoa. Partes das palavras do mote são usadas para gerar outra palavra, que inicia uma das linhas do poema. O vídeo abaixo apresenta esse movimento das letras e, também, a minha leitura desta Simbiose… que podes guardar e oferecer.

Por acaso, até estou em bocadinho ressentido, por causa disto.

O poema de Fernando Pessoa

ISTO

Dizem que finjo ou minto
Tudo que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração.

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
É como que um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa é que é linda.

Por isso escrevo em meio
Do que não está ao pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é.
Sentir? Sinta quem lê!

A minha leitura deste poema, que podes guardar e oferecer.