Tenho de andar…

Depois de saber que cerca de 60% dos portugueses são obesos ou vivem em risco de obesidade, passo na zona de repouso do Centro Comercial e oiço um senhor anafado a confessar à esposa, repimpada no sofá: “Tenho de andar para não engordar”. Não resisti a registar a intenção do senhor. Chegado a casa, pus-me a brincar – de uma forma uma tanto sulfúrica, reconheço – com a dramática situação. Segundo uma investigadora, a coisa pode tornar-se caótica dentro de alguns anos. É claro que isto já não vai lá com um “Filho, não comas tanto!”

Pergunta (de um leitor imaginário) sobre este poema

Este poema é ofensivo para os obesos. Não tens vergonha? 

Ofensivo? Só os dois últimos versos! Os primeiros quatro são bem divertidos. Se estão em maioria, por que te concentraste nos que estão em minoria? A propósito: quanto é que pesas?
Ficaste chateado? Então, não perdias nada em ler isto.

A minha leitura deste poema, que podes guardar e oferecer.