Como se escreve no formato simbiose

Uma Simbiose parte sempre de um mote. Partes das suas palavras são usadas para gerar outra palavra, que é sempre o início de uma das linhas do poema. O vídeo abaixo serve de  exemplo. O mote (Sentir?… Sinta quem lê!) foi retirado do poema “Isto” de Fernando Pessoa “

Para te ajudar nas rimas, aqui tens uma grande ajuda.

Acerca do mote, resta dizer que ele pode ser
congeminado por este método bastante divertido.

Isto é o que há a dizer sobre a parte formal do poema. Porém, o essencial  é o conteúdo. É nele que se aprecia a inspiração (e se imagina a transpiração) do poeta simbiótico.

Só falta dizer o seguinte: quando a tua Musa se fartar do formato “simbiose”, propõe-lhe o formato “Esoibmis“.

 Em caso de dúvidas persistentes…

Muito obrigado
Vitorino de Sousa