Concurso


Concurso Simbioses
– Brincando com as Palavras –

A finalidade deste concurso é incentivar a escrita de poesia no formato Simbiose (algo que me ‘aconteceu’ em 1979, quando eu tinha 31 anos), o qual foi distinguido, no ano seguinte, com o Prémio ‘Revelação’ de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores.

Simbioses de Vitorino de Sousa - Capa do Livro - 1979

Todavia, antes de leres o regulamento deste concurso (que está no fundo desta página), presta atenção a algumas regras essenciais à escrita neste formato poético.  

Os poemas/simbiose enviados para o concurso, que não satisfaçam regras seguintes, serão devolvidos ao autor para correção.

Evita que isso aconteça dando atenção ao seguinte:

Um poema/simbiose parte de um mote/título, o qual é ‘fragmentado’
de forma a que só algumas das suas letras ou sílabas participam na geração de  outra palavra.

Essa palavra é – sempre – a primeira de cada verso do poema.

O resto das letras/sílabas não utilizadas, arrumam-se à esquerda de cada verso do poema e, evidentemente, não participam na leitura do poema.

Como exemplo prático, proponho uma frase divinal de Vasco Santana,
no filme
O Pátio da Cantigas:

Pára e escuta, flor do meu martírio!

Podes rever aqui  essa cena genial, entre os minutos 35:20 e 39:15.

Abaixo, tens a forma como eu fragmentei  este título ( pertencente ao conjunto Poemas de Amores ). Neste exemplo, o título surge a negrito para facilitar a leitura do poema:

Atenção (1)
R
emovendo a letras  nesta cor, tem de ser possível reconstruir  o título,
lendo-o na vertical, linha após linha.  Assim:

Atenção (2)
Naturalmente, podes fragmentar este título (ou qualquer outro, da tua autoria ou não) de várias maneiras… desde que partas  
da 1ª letra em direção à última! Por exemplo, na primeira palavra da primeira linha do poema não podes utilizar letras/sílabas das palavras finais do título. Tens de seguir por ordem.

Atenção (3)
Repito; todas as linhas do poema têm de começar com letras/sílabas do título! No exemplo abaixo, a linha azul está a violar esta regra, porque o “e” inicial da linha não faz parte do título:

Atenção (4)
Para criares o espaço entre as letras à esquerda e o alinhamento do poema, não uses a tecla “espaço”; usa a tecla “tab”.

Atenção (5)
Para concorrer ao concurso, podes usar qualquer tipo de letra no tamanho 12. Mas,
por favor, usa  o negrito nas palavras do mote/título, como na imagem acima. Para o resto do poema, usa uma cor contrastante.

Para terminar, aqui tens a ilustração audiovisual de um dos meus poemas/simbiose, no qual podes apreciar o movimento das letras durante a fragmentação do título:

Para facilitar o teu  trabalho de composição, aqui tens uma ajuda.
No caso de precisares de rimas, usa a janela ‘
Letras finais’.

Para finalizar, aqui me tens a (tentar) explicar o que acabaste de ler:

 

Se ficaste com dúvidas, usa este endereço de email

Os vencedores dos concursos anteriores

Conhece o essencial sobre dois projectos que podem interessar-te:
– Associação de Gestos Astrolo-Poéticos –
– Lirateca –

 


Regulamento do Concurso
‘Simbioses – Brincando com as Palavras’

 

O PRÉMIO
1) Publicação em Mundo(s) – Coleção de Poesia Lusófona – da Editora Colibri

2) Ilustração audiovisual do poema vencedor, com leitura pelo autor.

3) Divulgação permanente em  ‘Outros autores‘ e Lirateca

4) Divulgação nas redes sociais.

5) Diploma de vencedor.

COM QUANTAS ‘SIMBIOSES’ PODES CONCORRER?
Podes concorrer com quantas quiseres. Uma vez que eu (vitorino de Sousa) não faço parte do júri, o teu trabalho pode vir assinado com o teu nome.

SOBRE O MOTE/TÍTULO
O mote é livre. Tanto pode ser uma frase da tua autoria, como um verso de outro poeta,  um provérbio, etc.

ENVIO DOS TRABALHOS
O ficheiro com os trabalhos (rimados ou não) deve ser enviado para vs220548@gmail.com
desde hoje até às 23:59 do dia 28 de fevereiro de 2022.

O ficheiro deve estar formatado em word, tamanho 12,
com ‘negrito’ apenas nas palavras do título, como na imagem acima

O JÚRI
Ângelo Rodrigues
Coordenador da coleção ‘Mundo(s)’, da Editora Colibri

Laura Marques

Miguel Galante
Vencedor do concurso 2017

DIVULGAÇÃO
A revelação do vencedor ocorrerá no dia 21 de março de 2022,
Dia Internacional da Poesia.

Fico a aguardar os teus trabalhos.
Muito obrigado.