Fiz com as fadas uma aliança

O mote deste poema/simbiose é o primeiro verso de
‘Fiz um conto para me embalar’ de Natália Correia

Um poema/simbiose parte sempre de um mote, que é o seu título. Partes das palavras desse mote são usadas para gerar a primeira palavra de cada uma das linhas do poema. As “sobras” ficam arrumadas à esquerda e não fazem parte da leitura:

Versão desformatada para quem acha o formato ‘simbiose’ muito complicado:

Fiz com todas as Fadas uma sagrada aliança. Contando, também, com a minha Musa Menina, assumimos um grupo que pelo mundo avança fazendo a vida negra aos poetinhas sem crina. Dando as costas à Carpideira que neles buzina, mandando raspar o visco que lhes unta a pança, alindamos o que tal gente, rabiscando, desafina. Anos de luta! Mas quem escreve sempre alcança. À Poesia lúcida chegamos sempre sem tardança.


A minha leitura deste poema/simbiose, para guardar e/ou oferecer

A ilustração audiovisual do poema de Natália Correia

Retroceder   ↔   Sugestão de leitura complementar